martes, 20 de marzo de 2012

"Oenegé", "Cederrón", "Deuvedé" e outras espanholices !



O idioma espanhol é indiscutivelmente um dos mais importantes do mundo.  Só de falantes nativos, sao mais de 400 milhoes de pessoas espalhadas por todo o mundo.  O espanhol é um do seis idiomas  oficiais da ONU e atualmente ocupa o posto de segundo idioma mais estudado do mundo depois do inglês.

Entretanto, o idioma espanhol tem umas peculiariedades, que eu simplesmente nao consigo entender, como por exemplo, transformar siglas em palavras.  Se trata de uma convençao que nao faz nenhum sentido, uma vez que a funçao da sigla é simplificar a escrita ou fala de um conjunto de palavras. Ou seja, é mais facil falar e/ou escrever IBM em vez de  "International Business Machines" ou ONU em vez  "Organização das Nações Unidas".  Mas, o idioma espanhol parece que, neste ponto, prefere nadar contra a maré.

Veja alguns exemplos que encontrei no site da Real Academia Española: 

Oenegé: ONG
Cederrón: ( (De CD-ROM, y este sigla del ingl. Compact Disc Read-Only Memory)
Deuvedé: (De DVD, sigla ingl. de Digital Versatile Disc )
Elepé:  (De LP, sigla ingl. de long play)

É curioso que existe a palavra "Deuvedé" para DVD, mas nao existe a palavra "Cedé" para CD. Alguém comeu mosca...  Conversei com alguns espanhóis sobre esse assunto, e pelo menos eles também acham isso uma piada !

Já faz alguns anos que a Real Academia Española vêm tentando "espanholizar" siglas  formadas pela uniao de duas ou mais palavras de procedência anglo-saxônica.  Nao se sabe ainda se estas novas palavras cairao no gosto popular ou serao condenadas a ficar no limbo das palavras esquecidas.

Se você acha que estou brincando, confira algumas manchetes de jornais espanhois:

Jornal Heraldo.es
Hollywood prepara el entierro del deuvedé

Jornal La Vanguardia
Condenada una oenegé rusa por publicar las irregularidades en las elecciones

Jornal El Pais
Saint Etienne anuncia nuevo elepé para abril

Até o próximo post !

3 comentarios:

Pedro L. Carvalho dijo...

Olá Edu, Sou Pedro Lima Carvalho, tentei encontrar em alguma parte seu email, mas como não tenho OUTLOOK não tenho como encontrar seu email.

Gostaria de entrar em contato pois estou planejando voltar ( possivelmente em definitivo) para a europa, mas agora gostaria de ir pra espanha e gostaria de coletar mais informações.

Aguardo contato

Grato
Pedro Lima Carvalho (facebook)
plceventos01 (skype)

felipe dijo...

Olá Pedro,

eu sou colombiano e morei na Espanha por 5 anos (agora moro no Brasil :).

O que você fala nesta matéria é característico da Espanha, eu nunca vi coisa assim na hispano-america.

Como você bem diz, são mais de 400 milhões de falantes nativos do espanhol. Dos quais, só 40 milhões (aprox.) são da Espanha. Isso quer dizer que não é acertado falar de "peculiaridades do idioma espanhol" quando se refere a como os espanhóis falam. Isto é só um regionalismo.

Eu acho (só uma especulação) que isso se deve à resistência dos espanhóis para aprender inglês. Exemplos disso é que ate hoje eles dublam todos os filmes e seriados do inglês ao espanhol. Lembro-me bem como era uma tortura escutar ao Al Pacino falando com sotaque espanhol :)

Te mando alguns exemplos:

Colômbia:
http://www.elespectador.com/noticias/bogota/articulo-424684-ong-antitaurinas-declaran-su-apoyo-petro

Chile:
http://www.lanacion.cl/ricky-martin-lanzara-disco-y-dvd-de-sus-grandes-exitos/noticias/2013-04-02/195000.html

México:
http://www.eluniversal.com.mx/sociedad/8192.html

abraço.

Anónimo dijo...

Cada idioma tem a sua peculiaridade.
No portugués tem palavras que não da para explicar. Um exemplo é "fazer a barba". Eu me pergunto, como fazer se eu vou "desfazer"? E no espanhol, pelo menos, é "afeitarse". E por ai vai...